Tempo de Ser Família: Tempo de Perdoar

. .

"Portanto, estai atentos para que o vosso procedimento não seja de tolos, mas de sábios, aproveitando bem cada oportunidade, porque os dias são maus. Por isto, não sejais insensatos, mas entendei qual é a vontade do Senhor"

Efésios 5.15-17

Vivemos num tempo complicado em que dificilmente administramos bem os ânimos dentro de nossas famílias. Por muito pouco, conflitos surgem tomando proporções que fogem ao nosso controle. Discussões se iniciam por nada. Porém, não consideramos que o dano pode ser ainda maior do que imaginamos! Trata-se de uma triste realidade que atinge também pessoas e famílias que professaram sua fé em Cristo Jesus.

Talvez por isso, ao nos identificarmos como crentes, há repulsa por parte daqueles que não aceitam, ou tão pouco compreendem o fato de que pessoas que se intitulam cristãs, não agem em conformidade ao cristianismo que professam.

Quando observamos a divisa proposta para este mês em nossa igreja (Efésios 5. 15-17), percebemos a clara orientação de Paulo à prática da fé ao dizer: “Portanto, estejais atentos para que vosso procedimento não seja de tolos....”. Neste “procedimento”, Paulo considera o que escreveu no início do capítulo: “Portanto, sede imitadores de Deus...” (v1). Pois, “procedimento” e “imitadores” são palavras ligadas às nossas ações, à nossa conduta!

Portanto, assim como fomos resgatados por Deus através do perdão, precisamos resgatar nossas famílias! Estamos vivendo um tempo difícil para a família, vivendo “dias maus”. Por questões banais, magoamos, ofendemos e pecamos contra os nossos.

A expressão máxima do amor é o perdão. Observamos esta verdade quando Paulo escreve sobre o amor de Deus em Romanos 5:8: “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.”  Deus na Pessoa de Cristo Jesus, nos perdoou, mesmo quando não merecíamos perdão! 

Nas história de José (Gên 37-46), vemos como o perdão reflete o amor e restaura uma família. José, foi traído, agredido e vendido como escravo por seus irmãos. Segundo o propósito de Deus, torna-se governador do Egito e tem diante de si seus algozes, ou seja, seus irmãos. Como governador José tinha poder para fazer o que quisesse com eles inclusive vingança. Porém, a Bíblia mostra que José os perdoou! Através deste perdão, toda a família de Jacó foi restaurada! (Gênesis 46 ao 47) Já pensou o que seria daquela família sem o perdão? 

O perdão é um ato de entrega altruísta! Vemos isso claramente em João 3:16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu, Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Precisamos imitar a Deus olhando e observando Jesus Cristo. Ele é a nossa referência máxima, não obstante, Paulo escreveu logo no início da epístola: “Nele temos a redenção por meio de seu sangue, o perdão dos pecados, de acordo com as riquezas da graça de Deus,” (Ef 1:7)

Se você recebeu deste perdão, pela graça, que quer dizer: “favor imerecido”, então está apto a perdoar, assim como Deus em Jesus Cristo vos perdoou; mesmo aquele ou aquela a quem pensas que não merece perdão!

Una a sua família no Amor de Deus Pai, através da Graça e perdão em Jesus Cristo, para que as alegrias e consolações do Santo Espírito estejam presentes nela.


Amém.

Pr. Marcio Silva
Maio de 2019