O princípio da Bíblia como única regra de fé e prática

. .

Para nós, os crentes batistas, a Bíblia Sagrada é a Palavra de Deus, não é um livro de literatura. Entendemos que é um livro sagrado escrito por homens de Deus idôneos e livres de qualquer suspeita.

 

Todos com experiência pessoal com o Senhor, fato este que os capacitou a, sob a inspiração do Espírito Santo, escrever este livro de autenticidade incontestável.

Diferentes dos demais evangélicos, que, de uma forma ou de outra, se prendem a sínodos ou credos. Nós, os batistas - também diferentes dos adeptos da igreja romana, que colocam toda a tradição da Igreja lado a lado com a Bíblia -, temos na Palavra de Deus, esteados, todos os fundamentos da nossa fé, pois até nossas doutrinas são amparadas pelos ensinos da Bíblia.

 

Quando desejamos dirimir qualquer dúvida doutrinária ou básica de nossa fé de imediato recorremos à Palavra, especialmente ao Novo Testamento. Este fato evita que recorramos a qualquer autoridade eclesiástica para firmar o nosso pensamento e entendimento. É no Novo Testamento onde encontramos toda a base do que afirmamos no tocante a doutrinas e princípios e nossa própria confissão de fé. Na Bíblia Sagrada não existem incertezas.

 

Muito diferente da tradição proclamada e aceita pela igreja romana e por alguns grupos evangélicos que possuem certos dogmas e obedecem as decisões oriundas de concílios ou sínodos, nós, os batistas, sabemos que existe incerteza na tradição. Além disto, a tradição também é efêmera, mas a Palavra de Deus é permanente: "Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão” (Lucas 21.33).
Jesus Cristo sabia perfeitamente qual era o valor e o peso da Palavra do Senhor quando ele disse: "Errais, não sabendo as Escrituras, nem o poder de Deus” (Mateus 22.29).

 

Para os Batistas, em matéria de religião, a Bíblia é a única autoridade, é o prumo, é a bússola para que possamos estabelecer a partir dela o norte, a direção, para todo o nosso sistema eclesiástico e doutrinário.

 

Quando Jesus Cristo fez a afirmativa acima para os saduceus - porque tentavam dar explicações a respeito da ressurreição - ele já sabia perfeitamente que, no decurso dos anos, os erros haveriam de ser multiplicados, pois muitos teriam em suas mãos este livro, mas o mantendo fechado e sem uso.

 

Os ensinamentos da Bíblia são tão atuais e eternos que a mesma expressão pronunciada por Jesus continua válida e atual.
Este livro santo, que para os batistas é a única regra de fé e prática, continua testemunhando do Senhor Jesus, de sua graça e do seu poder salvador. A maior parte dos erros cometidos, e que a cada dia se multiplicam, são o resultado do fato de não se ler a Palavra de Deus.

 

Lamentavelmente a Bíblia tem ficado fechada em muitos lares. Na passagem de João 5.39 está escrito: "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim".
Em 2 Pedro 1.20 o apóstolo afirma o seguinte: "Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação”.

 

É por isso que nenhuma autoridade religiosa, por mais importante que seja, por mais ilustrada e douta, pode tomar o lugar da autoridade que a Bíblia Sagrada tem e representa para nós.

 

Isaias Lins

Pastor da IB dos Mares, em Salvador (BA)

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.