(Adaptado de “Cosmovisão da Família”)

Leitura: Gênesis 1.26-28, Gênesis 2. 15-25

O livro de Gênesis, como o próprio nome diz, é o livro das origens. Não só a origem do homem e do pecado, mas também da origem das nações, línguas, homicídio, culto, chuva, governos, do povo judeu, e da família. Na teologia costumamos dizer que Deus deu ao homem três mandatos criacionais. Ou seja, Deus estabeleceu, ordenou, delegou que o ser humano, criado a sua imagem e semelhança, se desenvolvesse em três áreas especificas que são as áreas mais abrangentes e importantes na vida de alguém.

O Mandato Espiritual se refere à área da espiritualidade e religiosidade do homem. O Mandato Cultural envolve o desenvolvimento da sociedade humana, seu trabalho, sua forma de governo e suas ocupações.
O terceiro mandato, que é o que nos interessa neste momento, é chamado de Mandato Social, ele abrange as relações sociais dos seres humanos, mais especificamente a relação familiar que foi a primeira dentro da humanidade.

 

"Portanto, estai atentos para que o vosso procedimento não seja de tolos, mas de sábios, aproveitando bem cada oportunidade, porque os dias são maus. Por isto, não sejais insensatos, mas entendei qual é a vontade do Senhor"

Efésios 5.15-17

Ao pensar no desenvolvimento do homem, incluindo os vários papéis que desenvolveria, a Sabedoria divina criou estruturas, estabeleceu leis, formulou diretrizes, num claro planejamento para o fortalecimento do homem, capacitando-o para os propósitos divinos. Fazendo um "recorte", vamos olhar, com a devida atenção, e verificar a dinâmica relacioal em uma dessas estruturas - A Família. Dentro dessa estrutura, faremos mais um recorte, e consideraremos a tarefa dos pais - criar filhos saudáveis.

Dois papéis devem ser desempenhados pela casa, e dois papéis devem ser desempenhados pelos pais.

"Portanto, estai atentos para que o vosso procedimento não seja de tolos, mas de sábios, aproveitando bem cada oportunidade, porque os dias são maus. Por isto, não sejais insensatos, mas entendei qual é a vontade do Senhor"

Efésios 5.15-17

Vivemos num tempo complicado em que dificilmente administramos bem os ânimos dentro de nossas famílias. Por muito pouco, conflitos surgem tomando proporções que fogem ao nosso controle. Discussões se iniciam por nada. Porém, não consideramos que o dano pode ser ainda maior do que imaginamos! Trata-se de uma triste realidade que atinge também pessoas e famílias que professaram sua fé em Cristo Jesus.

Talvez por isso, ao nos identificarmos como crentes, há repulsa por parte daqueles que não aceitam, ou tão pouco compreendem o fato de que pessoas que se intitulam cristãs, não agem em conformidade ao cristianismo que professam.

Quando observamos a divisa proposta para este mês em nossa igreja (Efésios 5. 15-17), percebemos a clara orientação de Paulo à prática da fé ao dizer: “Portanto, estejais atentos para que vosso procedimento não seja de tolos....”. Neste “procedimento”, Paulo considera o que escreveu no início do capítulo: “Portanto, sede imitadores de Deus...” (v1). Pois, “procedimento” e “imitadores” são palavras ligadas às nossas ações, à nossa conduta!

 

"Portanto, estai atentos para que o vosso procedimento não seja de tolos, mas de sábios, aproveitando bem cada oportunidade, porque os dias são maus. Por isto, não sejais insensatos, mas entendei qual é a vontade do Senhor"

Efésios 5.15-17
     

O mês de Maio é um mês especial para nós Batistas e especialmente para nossa igreja porque é o Mês da Família. A cada Domingo teremos uma mensagem especial pregada pelos pastores da igreja focando áreas diferentes da vida familiar: o propósito da família, o tempo de perdoar, tempo de criar filhos saudáveis e tempo de cuidar e proteger nossas famílias. Temas fundamentais para reflexão, formação da família e manutenção da família. 

Nossa igreja possui um ministério voltado para as famílias que nos têm desafiado a refletir sobre estes assuntos. Nosso primeiro desafio é desvendar o propósito da família. Uma questão basilar e fundamental. Vejamos o porquê.

O tempo é, sem dúvida alguma, um dos nossos maiores patrimônios. Muitos são incapazes de fazer esta relação, mas é hora de pensar: negociamos nosso tempo o tempo todo, e a maneira como lidamos com ele revela quem somos, quais são nossos valores e quais são as nossas prioridades. O sentimento de que estamos perdendo nosso tempo e de que estamos deixando de lado o que é mais importante, revela que somos dominados por forças outras e que não dominamos nossas vidas. Quando esta falta de tempo afeta a família é que nossos prejuízos são de fato os maiores. É muito comum ouvir conselheiros familiares que falam de um tal ¨tempo de qualidade¨, um paliativo para a falta de tempo e a invencível culpa que carrega o coração de quem não consegue estar tempo suficiente com sua família. A Bíblia chama de tolo que não sabe fazer bom uso deste recurso imprescindível e fundamental: o tempo. É preciso sabedoria e, mais ainda, coragem, para refazer nossas agendar e prioridades.

Versículos para hoje

"Louvarei ao Senhor durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus, enquanto eu viver."

salmo 146:2